UST vs Pontos de Função (PF)

Posted on Posted in Métricas, pontos de função, UST

Recentemente recebi um e-mail de uma colega com um caso, pelo menos para mim, inusitado: um fornecedor querendo converter UST em Pontos de Função (PF).

Inusitado, pois foi a primeira vez que vi um fornecedor querendo PF. Sabe-se lá porque né! Enfim, como UST está na moda, ultimamente se fala muito nessa métrica, resolvi escrever o que acho sobre a conversão de UST para PF ou virse e versa.

Não conheço nenhum regulamento que embase essa conversão, exceto se existir alguma pesquisa acadêmica, e…

…acho que essa conversão DIRETA é incompatível e explico aqui o porquê.

Isso pq UST (unidade de serviço técnico) é uma métrica baseada no histórico do órgão, pelo menos deveria ser, ou baseada em alguns órgãos de referência.

Ou seja, um Órgão A, olhando o histórico de pedidos, a complexidade e o esforço de cada chamado ao longo do tempo classificará cada item com uma quantidade de UST de acordo com a pesquisa histórica.

UST não pode ser um chute no qual o órgão atribui um valor qualquer e depois licita o custo de cada UST. A quantidade de UST deve ser baseado no histórico.

Se, a partir do seu histórico de chamados, percebe-se que para criar um CRUD leva X esforço e para criar um relatório com 10 campos leva o dobro, então para criar um CRUD será 1 UST e para o relatório será 2 UST. E o valor dessa UST será dito pelo mercado, na pesquisa de preço e no pregão.

Agora pq não cabe conversão de UST para PF?

Justamente pq PF é a mesma contagem (ou muda pouco) para qualquer órgão e UST varia de órgão para órgão. Digamos que no exemplo acima (CRUD e relatório), um outro órgão B, em seu histórico leva 2X de esforço e para fazer o CRUD e leva 3x para fazer o relatório. Nesse outro órgão B, o crud será 2 UST e o relatório 3 UST.

Quer dizer que neste último caso o órgão B pagará mais que o órgão A? Não necessariamente, pois espera-se que  o valor da UST do órgão B seja mais baixo que o do órgão A. Isso pq as empresas, ao analisarem a quantidade de UST, notarão que há mais UST em órgão que no outro para fazer coisas semelhantes.

UST não deve ser ter um padrão ou preço médio de mercado, assim como tem PF, justamente pq varia de acordo com o histórico do órgão.

E por isso, no meu entendimento, não cabe uma conversão direta de UST para PF. No máximo, caberia uma indireta por meio da conversão intermediária de horas. Neste caso, deve-se fazer um estudo, beeeem amplo, de quantas horas é 1 PF (média de mercado) e quantas horas é 1 UST no órgão específico.

Abraços a todos.

2 thoughts on “UST vs Pontos de Função (PF)

  1. Se UST mede esforço, então é diferente de PF, que mede tamanho funcional. Logo, entendo que seria possível usar os dois, criando uma associação, que varia entre os órgãos, entre a quantidade de USTs necessárias para executar um ou mais pontos de função. Ex: órgão A executa 1PF com 2USTs, enquanto o órgão B precisa de 4USTs para o mesmo tamanho funcional.

    1. Bom dia Rogério, a princípio não vejo problemas nessa relação, mas vamos nos perguntar:
      – por que preciso medir um tamanho funcional? pra que serve?

      A resposta a essa pergunta for “para pagar” então provavelmente não suará UST. Se for mensurar esforço ou produtividade ai voltamos à discussão da falta de relação direta entre tamanho funcional e valor. Nem sempre um tamanho funcional pequeno representa um software de pouco valor ou baixa complexidade de se fazer e vice-versa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *